segunda-feira, outubro 01, 2007

paisagem agrícola sem casas #4


óleo s/papel, 30x20cm

Peço desculpa pelo atraso, mas adiei o assunto e depois nunca mais me lembrei. Agora que voltei de uma semana de férias é que vi que só faltava eu. Fiz um estudo rápido, nem tive tempo de digerir a imagem. Como vim do Algarve, achei que podia lembrar um monte alentejano, enquanto não inundam a região com campos de OGM para rações e agora também para o tenebroso biodíesel.

3 comentários:

pedro disse...

apetece andar nesse campo de trigo ;o). criticas, tb as há: para exercício, ainda por cima a óleo, upa, upa, puxadote. tenho que experimentar. gosto especialmente do trabalho na árvore. o pormenor no canto inferior esquerdo acho supérfluo, mas por outro lado sugere o trigo, não sei se era necessário. que achas?

Luísa R. disse...

Concordo com o Pedro: também acho supérfluo o pormenor no canto inferior esquerdo.

De qualquer forma, gosto muito do trabalho. Especialmente das cores. Dá vontade estar ali :o)

Cristina D'Eça Leal disse...

Quando acabei, achei que precisava de qualquer coisa ali para compensar o grande peso da árvore e avancei com um primeiro plano, mas podia ter sido uma mancha no trigo, de facto. Vou olhar melhor