terça-feira, janeiro 16, 2007

ainda a cor ...



[acrílico s/ papel, 40x60 cm]

Fiz uma analogia musical aos teus conceitos de cores tonais e timbricas. Mas gostava que esclarecesses melhor esses conceitos. Em termos muitos simplistas interpretei a tua frase no sentido em que usaste cores fundamentais e pouco ou nada misturadas ... é isso?

5 comentários:

Cristina E. Leal disse...

Tens aqui um bom exemplo de tratamento da luz em superfícies de características diferentes (é do teu novo atelier?)
O que eu digo é que tenho tendência para incluir na paleta o Siena natural e o queimado, a terra sombra natural e a tostada, o amarelo de Nápoles, o vermelho de Veneza, o azul ultramarino e o cobalto. A partir daí vou fazendo as misturas que acho que preciso; volta não volta preciso de ir buscar outras cores como amarelo ou vermelho cadmio, verde sapo ou azeitona, outro qualquer azul ou violeta, mas é porque busco uma tonalidade específica, no percurso normal gosto de mexer nestas cores familiares.
E resultou a analogia musical? É que não sei se consigo desenvolver muito mais do que já disse.

pedro disse...

temos (quase) gostos identicos na cor e os resultados são diferentes ... mais uma coisa fascinante.
Quanto à analogia, na musica o tom indica um som único (frequencia pura), como por exmplo os varios sons das teclas do telefone. Um som timbrico é um som misturado de varias frequencias (geralmente uma fundamental e varias harmonicas). Na cor isto poderia significar que o verde no limite do circulo de cor poderia ser um tom e à medida que caminhas em qq sentido para o centro (com misturas) entras nos timbres ... acho que já tou a divagar ... "a minha amiga" é que tem de explicar lol.
Outro conceito que gostava de discutir é o da temperatura das cores. Por exemplo, o que para muitos é um dado "teórico" adquirido, o azul ser frio, eu sinto o oposto, especialmente se for um azul céu sem qq desvio p/ o cinzento; any comments?

Cristina E. Leal disse...

As cores tonais são as harmónicas, mais próximas da realidade, na construção das formas por aproximações de claro-escuro; as cores tímbricas são as que procuram o contraste, as que são usadas duma forma mais heráldica - começou com os fauves - em que, para transmitires a noção de planos ou zonas de sombra usas outra cor que tenha um valor diferente.
Eu também acho que é abusivo distinguir as cores entre frias e quentes; é por razões de metodologia de conhecimento, para poder ilustrar a noção de temperatura. Porque também há amarelos frios, claro.

Luísa R. disse...

Pedro,
Mestre...
Como sabes, gostei muito.
Parabéns.
Bjs

pedro disse...

obrigado mestre luisa. os exageros ainda te hão-de perder ... ;o); mais um epiteto desses e apago o comment lol